terça-feira, 8 de abril de 2008

Onde estamos?

Essa liberdade aprisionada.
Onde ir e vir não representa mais nada.
E quem é livre de verdade?
E quem é feliz na realidade?

Para que tanta obrigação .
De ser tão acertivo.
Mesmo sem ter opinião.
Esse achismo intermitente.
Todo mundo pode ser tudo.
Mesmo sem saber fazer nada.

O poder de pensar eleva os homens.
Onde nunca pensaram em chegar.
O sonho conformado que uns podem e outros não.

Onde estamos de verdade?
Aonde chegaremos seguindo esse ou aquele caminho?
Para onde estamos verdadeiramente indo?

Somos servos de nossa própria liberdade.
Preso dentro de nossos receios.
Não se pode prender um pássaro que pode voar.
Em um lugar em que ele não possa abrir as asas.

Somos inquilinos do tempo.
Pagamos sempre um preço por usa-lo.
E mais dia menos dia seremos cobrados.

Usando ou não...

Um comentário:

Larissa disse...

Alêêêê!!!
Lindo seu blog!!! Não sabia que bem na minha frente senta um poeta!!!rs Gostei + do 2 do que do 1, diferente do q vc tinha me dito, ou seja, as pessoas tem gostos diferentes, então nem se preocupe em agradar a todos com os seus textos... Continue escrevendo, hein!!! Vou sempre dar uma passada aqui para dar uma espiadinha...
Bjão,
Lari